– A Expansão Marítima –

Publicado: agosto 28, 2012 por ' Carolina Araújo em ' Ciências Humanas E Suas Tecnologias., História

Embora o imaginário da época atribuísse ao Oceano Atlântico toda sorte de monstros e lendas, os europeus, entre os séculos XV e XVI, venceram o medo e lançaram-se ao mar num processo que ficou conhecido como expansão marítima ou Grandes Navegações. No início da Era Moderna, uma série de transformações e acontecimentos criou um cenário que impulsionou as chamadas Grandes Navegações. Entre os fatores que contribuíram para o expansionismo marítimo, destacam-se :

As Especiarias : Artigos de luxo, como gengibre, pimenta, marfim, sedas chinesas, canela, dentre outros, eram bastante apreciados pela elite europeia. As cidades de Gênova e Veneza, na Península Itálica, detinham o monopólio de comercialização das chamadas especiarias orientais, tornando o preço desses produtos ainda mais elevados no continente. Buscando um caminho alternativo para as Índias (Oriente) , onde poderiam comprar as especiarias sem o intercâmbio dos mercadores italianos, portugueses e espanhóis deram início à expansão.

Busca Por Metais Preciosos : Tais produtos eram pagos com os metais (ouro e prata) e pedras preciosas, porém, as reservas europeias davam sinais de esgotamento, no século XIV, provocando a diminuição de moedas em circulação. Estas eram fundamentais à compra das mercadorias e ao fortalecimento dos Estados Nacionais – para a manutenção da burocracia estatal e do exército permanente. Dessa forma, a busca por novas fontes desses metais esteve presente nas embarcações que empreederam as Grandes Navegações.

A Difusão Da Fé : Instituição mais poderosa do período medieval, a Igreja Católica sofreu fortes críticas provenientes dos pensadores renascentistas e da Reforma – esta última responsável por quebrar o monopólio católico na cristandade europeia. Em virtude do rápido avanço das doutrinas dos reformadores – chamados de protestantes – , a Igreja reagiu com um movimento denominado de Contra-Reforma, objetivando deter a expansão do protestantismo e a reafirmação da doutrina católica. Nessa conjuntura, as Grandes Navegações abriram caminho para a conversão de novos fiéis para o catolicismo.

Novas Tecnologias Náuticas : A expansão marítima foi um enorme empreendimento, uma vez que os europeus, naquele momento, pouco sabiam a respeito dos oceanos e da geografia terrestre. O desenvolvimento e aperfeiçoamento de instrumentos de localização, como o quadrante, o astrolábio e a bússola, e de embarcações (a caravela, por exemplo) permitiram a navegação em alto-mar. Os receios quanto aos perigos dos mares não impediram que portugueses e espanhóis, no raiar dos tempos modernos, procurassem novas rotas para as Índias, visando à ampliação do comércio das especiarias, à obtenção de riquezas e à propagação do cristianismo. Antes de finalmente chegarem ao Oriente por um caminho diferente, os europeus, descobriram um mundo novo, a América, onde os objetivos que impeliram a expansão marítima foram alcançados

2. AS CARACTERÍSTICAS DAS COLONIZAÇÕES ESPANHOLA E PORTUGUESA NA AMÉRICA

Portugal foi o pioneiro no processo expansionista marítimo, chegando às Índias em 1498, depois de contornar o continente africando e alcançar o Oceano Índico. Antes disso, em 1492, a Espanha patrocinou o navegador Cristóvão Colombo no seu projeto de navegar pelo Ocidente para atingir o Oriente, em vez disso, ele desembarcou em terras desconhecidas, que mais tarde receberiam o nome de América. Em 1494, o Tratado de Tordesilhas repartiu o novo continente entre aqueles dois reinos ibéricos.

Dentro da política mercantilista, a função de uma colônia era gerar riquezas para a sua metrópole, fortalecendo dessa maneira o Estado. Por meio de um pacto de exclusividade, as colônias deveriam comercializar unicamente com a respectiva metrópole, da qual compravam mercadorias variadas, além de fornecer produtos cujo comércio na Europa poderia render vultosos lucros.

A forma como cada Coroa procedeu na explooração e administração das possessões coloniais variou. Vejamos as características da colonização empreendida pela Espanha e por Portugal em seus domínios na América.

 

CARACTERÍSTICAS

COLONIZAÇÃO ESPANHOLA

COLONIZAÇÃO PORTUGUESA

– Administração

Descentralização

Centralização

– Mão de Obra

Indígena (por meio da encomienda e mita)

Africanos (escravidão)

– Atividade Econômica Inicial

Mineração

Agricultura

comentários
  1. Maylane disse:

    mt boom!! bastante proveitoso!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s