Arquivo da categoria ‘Geografia’

– Localização Espacial –

Publicado: agosto 27, 2012 por ' Carolina Araújo em ' Ciências Humanas E Suas Tecnologias., Geografia

1. ORIENTAÇÃO

Norte : Boreal ou Setentrional (N)

Sul : Austral ou Meridional (S)

Leste : Oriente ou Nascente (L ou E)

Oeste : Ocidente ou Poente (O ou W)

Além dos pontos cardeais, pode-se precisar o direcionamento através dos pontos colaterais e ainda dos sub-colaterais, mostrdos na Rosa dos Ventos, figura base das bússolas.

2. MOVIMENTO DA TERRA

O Movimento de Translação, realizado pela terra ao redor do sol tem a duração aproximada de 365 dias e 6 horas. Esse movimento, junto com a inclinação do eixo do Planeta – 23º 27’ 30’ em relação ao plano de sua órbita ao redor do sol – , resulta na ocorrência das estações do ano :

Aproximadamente no dia 21 de Junho tem início o Verão no Hemisfério Norte e o Inverno no Hemisfério Sul. Próximo do dia 21 de Dezembro, a situação é invertida – começa o Inverno no Hemisfério Norte e o Verão no Hemisfério Sul.

No início do Verão / Inverno verifica-se o fenômeno do Solstíco, quando os raios solares incidem perpendicularmente em relação aos Trópicos.

Aproximadamente no dia 21 de Março tem início a Primavera no Hemisfério Norte e o Outono no Hemisfério Sul, enquanto em torno do dia 23 de Setembro inicia-se o Outono no Hemisfério Norte e a Primavera no Hemisfério Sul.

No início do Outono / Primavera verifica-se o fenômeno do Equinócio, quando os raios solares incidem perpendicularmente em relação a Linha do Equador.

Além do Movimento de Rotação, a terra realiza o movimento de rotação caracterizado pelo giro do planeta ao redor do seu próprio eixo, de Oeste para Leste. Com duração aproximada de 24 horas, é responsável pelos dias e pelas noites.

Anúncios

– Introdução À Geografia –

Publicado: agosto 27, 2012 por ' Carolina Araújo em ' Ciências Humanas E Suas Tecnologias., Geografia

Na Grécia Antiga, descrever territórios, paisagens e povos, significava fazer geografia. Só a partir do século XIX, é que a geografia assumiu status de ciência, com a sistematização do conhecimento e introdução de princípios científicos. A evolução industrial, que teve início na Inglaterra, na segunda metade do século XVIII, expandiu-se pela Europa e impulsionou o desenvolvimento científico, principalmente na Alemanha e na França.

Nesse período, surgiram duas escolas geográficas que procuravam legitimar as práticas dos Estados a quem serviam : a Escola Alemã e a Escola Francesa, tendo como principais expoentes Friedrich Ratzel, pela Escola Alemã, e Vidal de La Blache, pela Escola Francesa. Ratzel, influenciado pelos naturalistas alemães Humboldt e Ritter, adotou um poderoso discurso geográfico relacionando Estado e território.

As ideias de Ratzel, sentetizadas na expressão “Espaço é poder” , influenciaram a Geopolítica Alemã do Século XIX e início do Século XX. Denominada de Doutrina do Determinismo Geográfico, adotando a concepção de que a natureza determina o homem e, para alguns, a própria história, inclusive, na visão de alguns cientistas políticos, esses fundametos foram utilizados por Hitler, para justificar suas ideaias expansionistas.

La Blache defendia uma geografia essencialmente científica, sem conotação política, em que um Estado deve planejar o uso do território conspirando suas características naturais e humanas. Para La Blache o ser humano é ativo, ou seja, sofre a influência do meio, porém atua de maneira intensa sobre ele, modificando-o. Essa corrente geográfica foi denominada de Escola Possibilista Francesa.

Ao longo do século XX a visão científica geográfica foi ampliada, objeto e objetivos da geografia ganharam novas abordagens, de acordo com o contexto hstórico e a visão ideológica dos estudiosos. Na década de 1970, a ciência geográfica vivenciou profundas transformações anto na teoria como no método. Na Europa desenvolveu-se a chamada Geografia Crítica, fortemente influenciada pelo ideário de esquerda, tendo como maior expoente o geógrafo francês Yves Lacoste. Nos EUA, a geografia sofreu influência de ideias pragmáticas, técnicas, traduzidas no que ficou conhecido como Geografia Quantitativa.

Atualmente, em virtude das muitas aterações políticas e ideológicas sofridas no mundo, nos últimos anos, muitos geógrafos afirmam que não existe uma só geografia, mas várias, incitando polêmicas nesse campo do conhecimento. Pode-se dizer que a geografia é uma ciência que tem como objeto de estudo o espaço geográfico em suas diversas escalas, espaço resultante das contraditórias relações entre sociedade e natureza.

Para melhor compreensão da complexidade das relações presentes no espaço geográfico, é importante destacar três conceitos fundamentais :

Paisagem : Segundo G. Bertrand, “Não é a simples adição de alimentos geográficos dipares. É, em determinada porção do espaço, o resultado da combinação dinâmica, portanto instável de elementos físicos, biológicos e antrópicos que, reagindo dialeticamente uns sobre os outros, fazem da paisagem um conjunto único e indissociável em perpétua evolução.” – Paisagem é a porção visualizável do espaço, constituída por elementos naturais e/ou artificiais (aspectos visíveis do real).

Lugar : Uma porção do espaço adequado para a vida de um grupo de seres humanos. Local reconhecido por esses e que faz parte da identidade dos habitantes. É o espaço com o qual mantemos laços de afetividade.

Território : Conceito relacionado à política. Trata-se de uma porção do espaço definido pelas reações de poder, ou seja, trata-se de uma área deimitada por fronteiras políticas e que está submetida a um poder político.