Arquivo por Autor

Concerteza você lembra daquele assunto do seu 1º ~ 2º ano do ensino médio. Matemática básica. O estudo das Matrizes, Sistemas Lineares e Determinantes. Chato não?

Vamos aprender de uma forma legalzinha como estudar sobre isso… e o melhor, apartir de hoje… todo assunto de matemática ou outra materia da área tecnológica que eu der aqui eu vou na área de programação montar um código que mecha com esse tal assunto. Para vocês perdidos no entendimento do algoritmo não desentusiasmem se procuram ajuda não é por que estão no curso errado. ( Afinal estão lá para aprender, né? E só com erros e duvidas que se aprende. ) É apenas por que não entenderam, embora ache que essa ajuda deveria ser pedida ao professor. Enfim, vamos começar.

Matrizes.

Chama-se matriz do tipo m por n (escreve-se m x n) toda tablea de números organizada em m linhas e n colunas.
Ex.:
Matriz do tipo 2×2
|| 5     -5 ||
|| 3     -6 ||

Matriz do tipo 3×2
|| 9     4 ||
|| 5     6 ||
|| 1    -3 ||

Na matriz 3×2 do exemplo, o número “9” está posicionado na linha 1 e coluna 1; indica-se esse elemento por a11, ou seja, a11 = 9;
o 4 está posicionado na linha 1 e coluna 2; indica-se esse elemento por a12, ou seja, a12 = 4;

Ps.: Ah, essas tabelas são representadas por ||, ( ) ou [ ]

Pronto, só isso? É… em suma sim…
Mas ainda temos mais tipos de matrizes e acredito que seus problemas não iram se resolver com isso… Ah, lembrando que um dos meus brinquedos favoritos tem seu segredo revelado através do estudo das matrizes. É o chamado Cubo de Rubik (cubo mágico), tá não iremos colocar o carro na frente dos bois.

Matrizes Especiais
– Matriz Quadrada
Matriz Quadrada é toda matriz cujo número de linhas é igual ao número de colunas ( é né? ).
Ex.:
A 3 x 3
|| 1    2    3 ||
|| 0   -1    4 ||
|| 6    8   -3 ||
Esta matriz é uma matriz quadrada de ordem 3.

B 2 x 2
|| 3    6 ||
|| 4    0 ||
Esta é uma matriz quadrada de ordem 2.

Diagonais da Matriz Quadrada

Numa matriz quadrada A de ordem n, os elementos aij tais que i = j formam a diagonal principal da matriz, e os elementos aij tais que i + j = n + 1 formam a diagonal secundária.

Homi, traduza o que porra tu disse aí !

Diagonal principal

|| a11 a12 a13 ||
|| a21 a22 a23 ||
|| a31 a32 a33 ||

Ainda preciso dizer que essa é uma matriz de 3 x 3 ? Não né?
Então… o primeiro numero lá… é quem? a11 né? Por que? Por que ta ocupando o 1º lugar na linha 1 e coluna 1; logo a11
a22, por que está na 2º posição da linha 2 e coluna 2; logo a22
a33, por que está na 3º posição da linha 3 e coluna 3;

Perceberam que i = j… e que forma uma diagonal na matriz?
Pois é…

A diagonal secundária eu irei explicar mais a frente, quando continuar o post… estou morrendo de sono pessoal. Me desculpem, oky? Mas estou em periodos de estudos para provas.
Logo mais venho ajudar vocês, que devem estar de férias ou de recuperação.

Ubuntu 9.10 – Karmic Koala

Publicado: novembro 6, 2009 por Stefan Yohansson em Linux, Tecnologia
Tags:, ,

O ubuntu 9.10, vulgo Karmic Koala, é a tão esperada e recém lançada versão do sistema operacional Ubuntu.
Sua estrutura conta com:

  • A troca do pidgin pelo Empathy, um prematuro mas bem sucedido mensageiro instântaneo que promete vários avanços nas próximas versões, inclusive o suporte a vídeo e audio.
  • A troca do GRUB pelo GRUB2 como bootloader padrão, mantendo a taxa de 25 segundos de inicialização do sistema para notebooks e 10 segundos para desktops avançados.
  • O uso de um software center que lista os programas que podem ser instalados e com um clique você faz o download para o seu computador e os instala. (Antes podendo ler a descrição do que ele faz e até ver uma foto.)
  • Fácil download de codecs, quando tentar reproduzir um arquivo de mídia desconhecido o sistema procurará o codec para o arquivo para tentar abri-lo na mesma hora.
  • Já vem com a mais nova versão do openoffice, parecido com o Office da Microsoft a diferença é que você não precisará crackear ou coisa do tipo, afinal o openoffice é livre. (gratuito)
  • Mais de 400 jogos nativos para o linux, e ainda possiblidade de usar o Wine (Camada de Compatibilidade com o Windows, baixa-se no site)

Bem, essas são umas das principais mudanças no Karmic Koala, tirando outra grande diferença que é o visual que foi alterado. (Eu particularmente não acho que tenha mudado muito “O VISUAL”, mudou mais os icones e tal. Mas acho que o Gnome também deveria dar uma reviravolta no seu estilo. Mas isso, nada haver com o Ubuntu.)

Enfim, Be Free.
❤ ~

Cloud Computing

Publicado: novembro 6, 2009 por Stefan Yohansson em Tecnologia

Bem, o termo já é abordado em vários lugares… Pelo menos por técnicos e especialistas da área da informática. E já está dando muito o que falar a respeito.

Vamos saber, segundo o Google, o que será dessa espécie de técnologia.

O Jornal da Globo fez uma reportagem tentando explicar o conceito e, ao visitar a sede do Google em Mountain View tornou-se a primeira equipe de TV sul-americana a conversar com Eric Schmidt – CEO do Google. Na conversa, Eric falou que o Google compra novas empresas na proporção de uma por semana e, ao ser perguntado sobre uma possível aquisição do Yahoo!, respondeu que não há planos de comprar gigantes, mas sim de pequenas empresas que oferecem serviços “revolucionários”.

Eric também “alfinetou” a Microsoft, falando que não tem medo da empresa de Bill Gates e que a empresa deve sofrer com a concorrência da “computação nas Nuvens” que deve crescer nos próximos anos e ir totalmente contra o conceito aplicado até hoje pela Microsoft. Segundo ele, o futuro está na internet, daí o interesse da Microsoft adquirir o Yahoo!.

Eric completou que o Google está trabalhando para esta “computação nas nuvens”, mostrando que a empresa tem interesse em disponibilizar cada vez mais informações e torná-las cada vez mais acessíveis, seguindo o lema da empresa e, lógico, ganhando mercado e fazendo dinheiro com este público sedento por informações.

Retirado do:
UnderGoogle

Procurarei ser o mais breve possível, afinal tenho muito trabalho a fazer.

Qualquer erro, reportar a minha caixa de e-mail e queria pedir minhas desculpas pelo sumiço, as áreas de ciências exatas, iram ser preenchidas, em breve.

Agora vamos ao que interessa.

Como criar uma tabela com PHP

Geralmente as pessoas usam gerenciadores de tabelas como “phpMyAdmin” para criar suas tabelas, mas se de repente precisarem criar todas essas tabelas em outro lugar, ou simultaneamente, por que não facilitar?

Simplesmente podem criar a tabela e pegar aquele código gerado pelo phpMyAdmin e colocar dentro de um arquivo .php e executa-lo no seu servidor. deixe-me dar um exemplo.

<?
CREATE TABLE conteudo (
id int(5) NOT NULL auto_increment,
nome char(30) NOT NULL ,
email char(80) ,
data date NOT NULL,
hora time NOT NULL,
titulo char(100) NOT NULL,
subtitulo char(200),
mensagem text NOT NULL,
visualizar char(3) DEFAULT ‘nao’,
PRIMARY KEY (id),
UNIQUE id (id)
);
?>

 

<?

include(‘config.php’);

CREATE TABLE conteudo (

id int(5) NOT NULL auto_increment,

nome char(30) NOT NULL ,

email char(80) ,

data date NOT NULL,

hora time NOT NULL,

titulo char(100) NOT NULL,

subtitulo char(200),

mensagem text NOT NULL,

visualizar char(3) DEFAULT ‘nao’,

PRIMARY KEY (id),

UNIQUE id (id)

);

?>

salve o arquivo como: create_table_conteudo.php e execute do seu link www.meulink.com.br/create_table_counteudo.php e a sua tabela estará criada.

lembrando que o include(‘’); Chama um arquivo que é o config.php e nele deve conter as informações do servidor mysql, por exemplo:

<?

$host = “localhost”;

$user = “root”;

$senha = “”;

$dbname = “meu_site”;

$conexao = mysql_connect($host, $user, $senha) or die (“Não foi possível conectar-se com o banco de dados”);

$db = mysql_select_db($dbname) or die (“Não foi possível conectar-se com o banco de dados”);

?>

E salve o arquivo como config.php, o include chamará para dentro daquele arquivo create_table_conteudo.php;

 

Como fazer uma consulta no banco de dados e selecionar variaveis dessa consulta

Bem, aqui iremos aprender a fazer uma simples consulta num servidor MySQL, faça um arquivo com o nome de conteudo.php e estude esse código antes de adicionar lá.

<?
include(‘config.php’);

$sql = “SELECT * FROM conteudo WHERE visualizar = ‘sim’ ORDER BY id DESC”;  //Selecione da tabela conteudo quando visualizar for ‘sim’ e ordene por id decrescente

$resultado = mysql_query($sql) or die (“Não foi possível realizar a consulta ao banco de dados”);  //chame o resultado; interno

while ($linha=mysql_fetch_array($resultado)) {

//chame cada variavel como cada parte da tabela, nome, email e etc

$id = $linha[“id”];
$nome = $linha[“nome”];
$email = $linha[“email”];
$data = $linha[“data”];
$hora = $linha[“hora”];
$titulo = $linha[“titulo”];
$subtitulo = $linha[“subtitulo”];
$mensagem = $linha[“mensagem”];
$visualizar = $linha[“visualizar”];

 

//escreve o html, a parte visivel do código. apartir daqui é o que apareçe na página

echo “<center>”;
echo “Noticia $id”;
echo “<br>”;

echo “Autor: $nome – ($email)”;
echo “<br>”;
echo “Data: $novadata – Horário: $novahora”;
echo “<br>”;
echo “Título da Notícia: <b> $titulo </b>”;
echo “<br>”;
echo “Subtítulo da Notícia: <i> $subtitulo </i>”;
echo “<br>”;
echo “Notícia: $mensagem”;
echo “<br>”;
echo “<br>”;
echo “<hr>”;
echo “</center>”;

}
?>

continuarei em como inserir valores nessa mesma tabela.

 

Inserindo os valores que ali o arquivo lê

Primeiro, cria-se um arquivo html com um form em method=“post” e configurado para enviar para um arquivo com o nome inserir (action=“inserir”)

Vejamos esse código desse html:

<meta http-equiv=”Content-Type” content=”text/html; charset=utf-8″ />
<?

echo “<h1><b>Cadastro de novidades</b> // <i> created by: Stefan Yohansson </i></h1>”;
echo “<hr><br>”;
echo “<form action=\”../inserir.php\” method=’post’>”;
echo “Autor: &nbsp;&nbsp; <input name=’nome’ type=’text’ size=30> *<br>”;
echo “Email: &nbsp;&nbsp;&nbsp;<input name=’email’ type=’text’ size=30> *<br>”;

    “<br>”;

echo “Título: &nbsp; <input name=’titulo’ type=’text’ size=30><br><br>”;
echo “Sub Título: &nbsp;&nbsp; <input name=’subtitulo’ type=’text’ size=30><br><br>”;
echo “Texto: &nbsp;&nbsp; <textarea name=’mensagem’ cols=’25’
rows=’7′ >
</textarea>

<br><br>”;
echo “visualizar: <input type=’checkbox’ value=’sim’ name=’visualizar’ /><br><br>”;
echo “<input type=’submit’ value=’Enviar’>”; echo “&nbsp;”;
echo “<input type=’reset’ value=’Resetar’>”;
echo “</form>”;
echo “<br><hr>”;
echo “<i>Os campos com <b>*</b> são obrigatórios.<br>”;

?>

Bem, espero que saibam html, caso não, não sei nem o que estão fazendo aqui.

Enfim, como podem ver, um form tem a ação de enviar o conteudo dele para o arquivo inserir.php em metodo post, lembrando que os valores dos input são definidos nos name=‘nomequevocêquer’ ao chegar no inserir.php ele chega como $nomequevocêquer = oquevocêescreveunocampo

Crie um arquivo inserir.php com os valores:

<?

$nome = $_POST[“nome”];
$email = $_POST[“email”];
$titulo = $_POST[“titulo”];
$subtitulo = $_POST[“subtitulo”];
$mensagem = $_POST[“mensagem”];
$visualizar = $_POST[“visualizar”];

    $sql = “INSERT INTO conteudo (nome, email, data, hora, titulo, subtitulo, mensagem, visualizar) VALUES (‘$nome’, ‘$email’, ‘$data’, ‘$hora’, ‘$titulo’, ‘$subtitulo’, ‘$mensagem’, ‘$visualizar’)”; /* Recebe valor e envia para o banco de dados*/

    include(‘config.php’);
$sql = mysql_query($sql) or die (“Houve erro na gravação dos dados, por favor, clique em voltar e verifique os campos obrigatórios!”); // Serve para enviar os dados
echo “<h1>Cadastro efetuado com sucesso!</h1>”;

?>

Espero ter ajudado novamente, e tenham uma boa noite.

Diferente do que faço em todas as outras categorias, irei postar dicas e não um tutorial de como usar/fazer.

Afinal, se procura uma categoria como essa é por que já tem noções básicas do que se trata.

Voltei das cinzas, eu sei, mas o meu chá de sumiço foi devido a trabalho e várias coisas, e o da Anne Carolina é o simples fato do seu computador estar quebrado.

Não se preocupem, iremos voltar com nossas atividades, em breve.

Enfim, vamos chegar onde eu quero.

– Como fazer para editar um arquivo de extensão .txt direto de um php, ou criar arquivos .xml

PHP é uma linguagem web bem versátil e ela tem uma semelhança com a linguagem C, veja essa semelhança no comando fopen, fwrite, fputs (sinônimo de fwrite), fread, fclose

Bem, falar, falar e falar não adianta de nada, vamos pôr a mão na massa.

fopen – Abre um arquivo

fwrite – escreve em um arquivo

fread – lê um arquivo

fclose – fecha um arquivo

Simples isso, né?

Mas só assim, dá uma certa incerteza, vamos explicar como fazer.

<? $novoarquivo = fopen(“nossoarquivo.txt”, “a”);

$conteudo = $fread($novoarquivo);

echo “$conteudo”; ?>

Se você tentar, poderá entender. :] Mas vamos explicar.

ele cria uma variavel com o nome novoarquivo que abre o arquivo e a outra função fread recebe tudo que tiver escrito no “nossoarquivo.txt” com valor de apenas leitura “a” e no final imprime tudo no navegador com o comando “echo”

– mas você não me explicou isso, maldito!

Calma gente,

‘r’ – Abre somente para leitura; coloca o ponteiro no começo do arquivo.

‘r+’ – Abre para leitura e gravação; coloca o ponteiro no começo do arquivo.

‘w’ – Abre somente para gravação; coloca o ponteiro no começo do arquivo e apaga o conteúdo que já foi escrito. Se o arquivo não existir, tentar criá-lo.

‘w+’ – Abre para leitura e escrita; coloca o ponteiro no início do arquivo e apaga o conteúdo que já foi escrito. Se o arquivo não existir, tentar criá-lo.

‘a’ – Abre o arquivo somente para escrita; coloca o ponteiro no fim do arquivo. Se o arquivo não existir, tentar criá-lo.

‘a+’ – Abre o arquivo para leitura e gravação; coloca o ponteiro no fim do arquivo. Se o arquivo não existir, tentar criá-lo.

melhor?

Enfim, mas aí só faz pegar o que ta escrito, e se não tiver nada lá, e se eu quiser inserir algo?

<? $novoarquivo = fopen(“nossoarquivo.txt”, “w+”);

fwrite($nossoarquivo, “$cont”); ?>

aqui o novoarquivo é aberto e zerado e o ponteiro posto no inicio do arquivo pelo ‘w+’ e o comando fwrite se encarrega de escrever em $nossoarquivo que é o nossoarquivo.txt aberto pelo comando fopen, a variavel $cont que é o texto que você quer adicionar, pode ser qualquer coisa ali.

Hmmm…

E se eu quiser adicionar um arquivo por cima do outro?

<? $abrir = fopen(“nossoarquivo.txt”, “r”);

$cont = fread($abrir, filesize(“nossoarquivo.txt”));

fclose($abre);

$apagar = fopen(“nossoarquivo.txt”, “w”);

fclose($apagar);

$adicionar = fopen(“nossoarquivo.txt”, “a”);

fputs ($adicionar, “$texto\r\n”);

fclose($adicionar);

$adicionar2 = fopen(“nossoarquivo.txt”, “a”);

fputs ($adicionar2, “\r\n$cont”);

fclose($adicionar2); ?>

Basicamente, é isso, espero que tenha ajudado.
E até a próxima.

Quem nunca se perguntou…
– Por que diabos existe essa tal de potenciação?
E quem nunca se perguntou:
– Por que todo número elevado a 0 é igual a 1?
Se você nunca se perguntou, não se preoculpe… talvez seja eu que seja anormal;
Mas enfim, vamos lá.

Entre os matematicos existe uma filosofia de que a exponenciação é como a divisão entre dois números. Veja como:
2² = 8/2 = 2³/2¹ = 2^(3-1)

Logo, podemos tratar o expoente 0 como a subtração de dois expoentes iguais.
Fazendo o caminho inverso podemos perceber:
2^0 = 2^(3-3) = 2^3 / 2^3 = 8/8 = 1

Lógico que o mais correto ao se fazer essa pergunta não é:
– Por que todo número elevado a 0 é igual a 1?
Por que 0^0 é um número indefinido, logo a pergunta correta é:
– Porque todo número diferente de 0 elevado a expoente 0 é igual a 1? ou
R* = {x ^ 0 = 1} ?
Um número (x) que pertença aos Reais (R) diferente de zero (*) que esteja elevado a 0 (^ 0) e seja = 1 (=1) por que isso? (?)
:] ~

Apenas algumas curiosidades, mas espero ter esclarecido.

Ubuntu desktop

Bem, há vários tópicos de perguntas sobre instalação de drivers da nVidia e o Ubuntu 9.04 já vem com este recurso pronto em:

Sistema > Administração > Drivers de Hardware

Mas para quem quer instalar manualmente, ou não conseguiu desse modo;

Vamos ensinar aqui:

Primeiro vá ao site da nVidia (http://www.nvidia.com/page/home.html), escolha sua placa (modelo, série) e baixe o driver para Linux 32 ou 64, dependendo do seu sistema/processador;

Enfim, Após feito isso, procure um pré-instalador para driver linux nvidia, no site do vivaolinux, pois o link que estava aqui expirou. Em breve posto-o novamente. :\ (Desculpa)

E execute-o, logando-se no root

Procedimento:

sudo su
colocar a sua senha
cd pastaondeestáoarquivo
./nomedoarquivo

feito isso vai começar todo um procedimento, e ao final… ele vai pedir para você apertar enter e diz que isso vai fechar o modo gráfico,

tudo que você tem de fazer é apertar ctrl+alt+f1

logar-se normalmente, botando seu usuario e senha,

logar-se como root,

Código:
sudo su
colocar a sua Senha

E logo após, procurar a pasta do arquivo que baixou do site da nvidia, o driver da sua placa de vídeo nvidia

Código:

cd nomedoarquivo

E agora meu caro amigo, é só acompanhar a instalação;

Lembrando que as dependencias para instalar o driver como gcc são todas instaladas no pre-instalador. :] ~

E ao final de tudo, caso não saiba reiniciar o sistema nesse modo, basta digitar:

Código

reboot restart now

(ou seria ao contrario o reboot e restart?) D: ~ Enfim,

Então boa sorte, e espero ter ajudado.

E caso tenha um tópico parecido ou do mesmo modo, peço que apaguem e desculpem-me minha ignorancia, e eu usei o Search, só não achei nenhum tópico desse tipo, por isso resolvi faze-lo.